terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Internet não tem idade



video



Internet se tornou uma ferramenta muita usada no dia-a-dia das pessoas, esse mundo virtual atingiu todas as idades, desde crianças de dois anos até idosos com mais de cinquenta anos. A vontade de aprender e estar atualizado com as inovações, leva o público da terceira idade a superarem as dificuldades ao lidar com o mundo virtual.



Para ajudar a melhor idade entender as maneiras de utilizar a rede, técnicos em informática estão atribuindo aulas direcionadas a esse público. Em Lavínia, interior de São Paulo, Aline Tavares estudante de Administração, 25 anos, funcionária da Prefeitura como telefonista usa os finais de semana para dar aula vip de internet e técnicas de informática para senhoras com mais de 50 anos.



Aline conta que antes de ser telefonista trabalhou na escola de informática da prefeitura, foi lá que uma senhora lhe procurou com interesse em ter aulas em seu próprio computador, a partir daí que surgiu a professora, que hoje ensina a 8 alunas como usufruir com segurança o glamuroso mundo virtual.



“Poucos são os desafios que encontro ao dar aula, pois hoje em dia a terceira idade tem os mesmos interesses que os dos jovens, não querem ficar desatualizados, e por isso sempre aceitam novos desafios”, diz a professora contente com o desempenho de suas alunas, que muitas vezes superam suas expectativas, encontrando nos sites formas que ela mesmo não conhecia.



Informação, contato e entretenimento são alguns dos motivos que levam a Dona Lili, uma das alunas da Aline a frente do computador. A internauta de 68 anos passa suas horas vagas comunicando-se com seus amigos e familiares. Para ela a internet é um meio prático e rápido, que traz muitas facilidades para o seu dia-a-dia. Mesmo encontrando muitas dificuldades ao navegar, a principiante tem muita força de vontade, segundo a professora ela é muito esforçada e gosta de pesquisar em busca de novidades.



Matilde Petroff também faz aulas com Aline. Seu maior interesse pela internet era a princípio se comunicar com seus filhos que moram fora, mas ao conhecer a tecnologia, ela descobriu um mundo prático. Hoje, a senhora de 69 anos faz compras de roupas em lojas virtuais, procura receitas e se informa das novidades. O Skype é um software que permite comunicação pela Internet através de conexões de voz, e é a ferramenta mais utilizada pela Dona Matilde para matar a saudade de seus filhos e netos que moram longe. Sua filha chegou a passar um tempo na China, e todos os dias se comunicavam através do skype, mais uma facilidade que a internet possibilita desfrutar.



A professora se emociona em contar sobre a evolução de suas queridas alunas. Para Aline o importante é querer sempre aprender, seja qual for a idade, e ela ressalta “Nunca é tarde para começar”.

video

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Tecnologia, conforto ou invasão de privacidade?

Um filme de ação que retrata uma realidade muito próxima, onde o conforto será transformado em risco, e a sua privacidade se torna pública e todos os seres humanos serão monitorados por máquinas que captarão cada ato, cada passo, através de uma tecnologia muito avançada. É hora de parar e pensar, até que ponto a modernidade está nos ajudando ou atrapalhando? Hoje em dia com tantas informações, tudo tão imediato, tecnologias surpreendentes, compramos sem sair de casa, pagamos um boleto sem precisar ir ao banco, fazemos tudo pela tão “famosa” e indispensável internet.

As pessoas gastam horas e horas na frente do computador em sites de redes sociais e pesquisas, essa busca pode ser positiva ou negativa. Ex. muitas fraudes são feita pela internet. Câmeras de monitoramento são instaladas em shoppings, ruas, bancos, repartições públicas. Estão sempre atentas aos movimentos de cada indivíduo que se aproxime, logo, monitoramos a vida das pessoas 24 horas.

Controle Absoluto nos deixa uma interrogação, um filme dirigido por D.J Caruso lançado em 2008, nos conta a historia de dois jovens que do dia para noite passaram a ser dominados através do celular, Jerry Shaw (Shia LaBeouf) e Rachel Holloman foram monitorados por uma voz feminina, que sem explicações os levaram ao Estados Unidos para concluir um plano de morte, planejado com muita tecnologia, que os levavam ao horror em cada ligação. O filme retrata muito bem as tecnologias que temos disponíveis hoje no mundo.

Na telona do cinema a história de terrorismo teve um desfecho feliz, mas será que a nossa realidade terá um final perfeito como o filme? Outra dúvida que deixa o espectador por um instante com medo do seu próprio celular.

O autor nos deixa uma reflexão ao esclarecer ambos os lados da tecnologia e nos informando os perigos, pois tudo que é exagerado trará malefícios para nossa vida. Devemos saber dosar para que os benefícios sejam contínuos e não nos tragam transtornos.




terça-feira, 10 de novembro de 2009

A imagem diz tudo

De entregador de jornal à repórter fotográfico, Alexandre Souza conta a grande trajetória na área do jornalismo, com vinte anos de carreira ele diz conhecer 60% sobre fotografia e pretende aprender ainda os 40% durante sua caminhada.

O fotógrafo apresentou através de uma entrevista coletiva ao 6º semestre de jornalismo do Unitoledo, suas variadas fotos, explicando o significado de cada uma delas, Alexandre deixa claro que uma boa imagem depende do momento certo e de um ângulo bom, ele ressalta que para a foto ganhar a capa ela tem que ser perfeita, alcançando um olhar técnico que só a prática traz ao jornalista.

Casamento da foto com o texto foi um dos itens mais abordados por Souza, ele frisa muito essa etapa na hora de buscar a noticia, deixando claro a necessidade de uma boa comunicação entre o fotografo e o repórter, sem esta interação será impossível a elaboração de um conteúdo convincente e de fácil entendimento, pois o maior interesse do jornal é levar ao público o acontecimento, e este deve ser bem apurado, com fotos e matérias que buscam o mesmo objetivo, através de um único foco.

E como sofrem por traz dessas câmeras, quem antes acreditava que vida de fotógrafo era tranqüila, mudou de opinião depois de ouvir os relatos das situações vividas por Alexandre, e mesmo correndo riscos, atolando, entrando na água e presenciando acidentes horríveis, o jornalista tem prazer pela sua profissão e ainda diz preferir o jornalismo policial.
Hoje trabalhando na Folha da Região a nove anos, o amante da fotografia registra uma faixa de de 80 a 120 fotos em um acontecimento marcante, e de 20 a 30 nos fatos corriqueiros, flagrando também imagens engraçadas e curiosas do dia-a-dia, montando com elas a página “Cena Urbana”.

Alexandre passou para os estudantes as dificuldades que um fotógrafo enfrenta durante seu trabalho, muitas vezes sendo expulso do local, mesmo o jornalista não atrapalhando, a policia sempre quer distância. Diante dessas barreiras Souza incentiva nunca desistir, sempre buscar mais, e estar pronto para realizar todos os tipos de desafios.

terça-feira, 6 de outubro de 2009


Mais do que palavrões


Liberdade de expressão não é sinônimo de agredir com palavras uma empresa, um lugar ou até mesmo uma pessoa.

Este assunto vem causando muita polêmica desde o dia 20 de setembro quando o blog Resenha em 6 postou uma crítica ao Boteco São Bento, localizado no bairro Vila Madalena em São Paulo. Escrita pelo publicitário Raphael Quatrocci a análise se tornou ainda mais comentada quando uns dos donos respondeu a ofensa, ameaçando a processar o blog se a resenha não fosse tirada do ar. O pior não foi o que os blogueiros falaram e sim a maneira como eles classificaram o Bar, utilizando palavras sujas. E em apenas 6 linhas deixaram uma só impressão, que o Boteco era “o pior bar do sistema solar”, veja a resenha:

Depois da Faixa de Gaza e do Acre, este é o pior lugar do mundo para você ir com os amigos. Caro, petiscos sem graça e, principalmente, garçons ultra-power-mega chatos: você toma dois dedos do seu chopp, quente e azedo que nem xoxota nos tempos dos vikings, eles já colocam outro na mesa. E se você recusa, eles ainda ficam putos. Só tulipadas diárias no rabo para justificar tamanha simpatia no atendimento.

Um blogueiro deve ter consciência de suas palavras, ao postar sua opinião, pensar um modo de expressar sem difamar. A Web 2.0 é uma rede multimídia formada com o intuito de desenvolvimento da comunicação em pontos positivos, não para blogueiros ficarem se atacando na internet.

Depois da explosão da mídia sobre este assunto, os mantenedores do blog, Juliano Barreto, Fernando Badô e Bruno Garattoni, atenderam a notificação, retirando o post do ar, foi uma maneira sensata dos estudantes. Mas essa historia teria outro fim se os Donos do Bar respondessem a crítica se explicando, e demonstrando respeito aos clientes, de uma forma simples, notificando melhoras no atendimento.

quarta-feira, 30 de setembro de 2009


Essa vai para o "Pérolas do Orkut"
Categoria : onde o coadjuvante protagoniza a cena! kkkkkkkkk



Diversão se torna lucro



Trabalhar apenas duas horas por dia, e ganhar oito mil reais por mês, é um emprego de chamar atenção não é mesmo?


Com muita facilidade o pós-graduado em economia Igor de Sousa Pucci, através do computador em seu próprio quarto selecionou cinqüenta fotos engraçadas, que chama a atenção do internauta por serem bizarras, e montou um site com um formato de blog, onde as pessoas podem ver, comentar e enviar fotos para serem postadas pelo autor.


Ele só não imaginava que essa brincadeira lhe renderia um sustento, há dois anos o site www.perolasdoorkut.com.br
. está no ar, hoje Igor posta quatro fotos por dia e recebe trinta mil visitas do mundo todo, sendo a maioria de jovens brasileiros da região Sudeste.

Em entrevista coletiva realizada no Unitoledo na aula de jornalismo online, Pucci declara pela primeira vez o quanto ganha com o seu blog, ele explica que seu lucro é através dos cliques, anunciantes, e visualização. Chegando a receber oito mil reais no final do ano passado, seu site já chegou a alcançar o recorde de cinqüenta mil acessos.


O estudante pretende repaginar seu blog, onde ele vai ter contado com o público diretamente através do twiter , pois ele conta que muitos seguidores imaginam que existe um grupo por trás da página, que as pessoas chegam até mandar email pedindo para trabalhar, diz ele achando engraçado.


Entrevistado pelo 6º semestre de jornalismo, Igor deixa claro aos estudantes que depende de cada um conseguir alcançar o sucesso na internet, ele deixa algumas dicas para os futuros jornalistas, entre elas a escolha de uma boa ferramenta de trabalho, o conteúdo ser sempre inédito, deixar sua página em constante atualização, e a visitar outros blogs.


Pucci visita vários blogs diariamente, e atualiza o “Pérolas do Orkut” através de fotos enviadas pelos internautas por email e quando não tem conteúdo ele busca fotos na “Comunidade Pérolas do Orkut”, que é a maior rede nacional. Para ele este trabalho é um divertimento, onde não se tem trabalho algum, diz Igor.

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Artista 2.0

Inspirada no seu dia-a-dia Lucia Pastorello, estudante de direito e com muita timidez resolveu fazer gravações inesperadas, dançando, cantando, interpretando e delirando. A araçatubense usa do maior canal de vídeos como forma de terapia e hoje é quase uma estrela.

A internet é um canal que evolui muito no País, este que à aderiu apenas para se proteger da guerra, atualmente vive em torno da web 2.0, os receptores se tornaram ativos, o comportamento dos internautas foram modificados, tornando-os participantes atrativos deste mundo virtual.

Utilizando de toda a tecnologia da web, Lucia deixa de lado a sua timidez, e se declara diante da câmera, sem ganhar nada em troca a estudante declara fazer seus vídeos para se satisfazer, nos momentos tristes e de muito tédio, ela aproveita para elaborar sua cena, gravando e postando no YouTube como forma desabafo.

Com mais de cento e cinqüenta vídeos a estrela extravasa sua personalidade, tocando violão, imitando o picachu, dançando a música celta, entre varias imitações. Nunca se preocupando com o número de visitas e sim em se sentir bem ao postar sua exibição.

Mesmo sem pretensões um de seus vídeos alcançou um total de duzentos e treze mil visitas, com muita criatividade e talento o seu canal www.youtube.com/lucirello faz dela uma artista 2.0.

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

O desdobramento do velho no mundo virtual

A autopublicação, o universo particular e tantos outros símbolos da blogosfera sobreviverão em meio às constantes novidades das redes sociais? De acordo com o jornalista Rodrigo Martins, em reportagem publicada no jornal O Estado de São Paulo, o blog não evoluiu como ferramenta. Esta afirmação foi feita num contexto que discutia a eficácia dos blogs e seu futuro como ferramenta de comunicação, diante das novidades da web 2.0, como My Space, Flickr, Twitter, entre outros.

Dentro deste debate, os internautas cada vez mais reclamam da lentidão e da falta de inovação dos blogs. Por isso, vários usuários estão migrando para outras redes sociais. Seria o fim da blogosfera? Anunciar seu fim seria muito apocalíptico, mas dizer que a rotina acelerada do homem contemporâneo exige recursos virtuais mais rápidos e que se encaixem ao seu estilo de vida, é um tanto razoável.

A questão é que os blogueiros vão continuar escrevendo conteúdos de seu interesse nesses espaços, porém a linguagem será mais concisa, com textos curtos e objetivos, ou seja, saindo de um formato tradicional para se modernizar, atendendo ao gosto do público.

A ideia de que os blogs vão acabar sempre irá prevalecer diante de tantas novidades e praticidades que se sobressaem no dia a dia no mundo virtual. Já disseram isso dos livros, do rádio e até do jornal impresso de cada dia. Mas o importante é evidenciar que o novo é sempre um desdobramento do velho, isso se chama aperfeiçoar e não extinguir. Em meio a tantos carros automáticos, alguém sempre vai preferir comandar o câmbio e mudar a marcha.

Por: Dandara Fuhrmann, Luis Eduardo, Suelen Rosim, Fabricia Lopes, Fernanda Caselato, Elissa Moreli, Naira Mendes, Livia Gaspar, Michele Bacelar, Francine Marri, Isabela Machado
Olha que linda a minha cachorrinha ... ela é uma Yorkshire....

Só não sei que o nome dela ainda ....

Alguém tem ailguam ideia?

quinta-feira, 2 de julho de 2009




Olha o que eu recebe da minha amiga Elissa...
Elissa: amigaaaaaaaa lindaaaaaaa uma frase pra ti: "Tem amizade que vale a pena... mas você vale uma galinha inteiraaa!!!"
kkkkkkk
te amooo migaaa
sdds!!!

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Naira Mendes


Opinar livremnente


Transmitir sua opinião, expressar seu pensamento, contar uma historia, e ter o direito que todos possam ver este material, sem a intervenção da mídia é muito importante para o reconhecimento de um jornalista. E é através de um Blog que o comunicador pode opinar expressando o seu conhecimento livremente.


Há onze anos que o Blog faz parte da vida virtual, mas essa onda só pegou há apenas cinco anos. Usado como forma de entretenimento, ou ate mesmo para ganhar dinheiro, as pessoas o utilizam de maneira subjetiva, adequando-o a suas características e visando o seu próprio interesse em manter esse diário atualizado.


Esta ferramenta pode ser montada por qualquer ser humano, que esteja interessado em comunicar divulgando o seu “eu”. Desta forma o mundo inteiro pode acompanhar seu raciocínio, criticando ou elogiando a sua forma de pensar e escrever .


Sem a intervenção da mídia os jornalistas podem expor no Blog seu verdadeiro posicionamento perante um assunto, sendo observado por diversos “olheiros”, que acompanharam seu desenvolvimento, desta forma muitos talentos são descobertos.
Naira Mendes


Tema – “A obrigatoriedade do diploma de jornalismo no Brasil”


Liberdade de expressão com regulamentação profissional

Diploma no curso de Comunicação Social com habilitação em Jornalismo tem sido um assunto muito discutido atualmente, pois sua obrigatoriedade está nas mãos do Supremo Tribunal Federal que decidirá a situação dos comunicadores nos próximos dias. Uma grande polêmica gira em torno deste fato, pois existem diferentes formas de pensamentos dentro da área.
Muitos justificam que o quê importa mesmo é a vivência da redação, mas sem preparo acadêmico, a interpretação do dia-a-dia não terá um bom proveito, são necessários técnicas, capacitações e só a graduação oferece esta qualificação. Antes de escrever para um jornal, revista, falar no rádio e na TV é necessário um estudo com calma para melhorar a forma de criação na hora de produzir para o mercado de trabalho, e essa preparação nunca será possível dentro da correria que é a redação.
Temos grandes exemplos de jornalistas espetaculares que não têm diploma como Alberto Dines e Juca Kfouri, mas eles já eram jornalistas antes de existir uma faculdade de jornalismo no Brasil. Hoje não tem porquê um comunicador não fazer curso superior. Aqueles que defendem a não obrigatoriedade é porque se julgam capazes, mas o número de pessoas que tem essa capacidade é mínimo em relação a todos que querem, de fato, ser jornalistas. Por isso mesmo com o “dom”, é melhor fazer com que todos passem pela graduação, pois é necessário especialização, onde os profissionais aprendem as regras para dominar desde uma simples notícia à grande reportagem.
Com o curso superior todos ganham até os que se julgam já saber. Sem o diploma, muitos talentos serão perdidos, pois não serão moldados como eles precisam e isso é muito difícil do mercado de trabalho fazer. O exercício da profissão implica em responsabilidade social, o jornalista tem que responder pelas suas informações com credibilidade e ética.
Todos tem o direito de liberdade de expressão, mas para ser um comunicador de massa é necessário uma regulamentação profissional que exija qualificação.

sexta-feira, 15 de maio de 2009

CUIDADOS NO INVERNO GARANTEM SUCESSO NO VERÃO.

Hábitos saudáveis devem ser mantidos em todas as estações do ano, inclusive o inverno.

Por Naira Mendes


Grande parte das pessoas costumam ganhar alguns quilinhos a mais no inverno. Com o tempinho frio, é quase impossível resistir às guloseimas que, geralmente, são bastante calóricas.
As saladas já não ocupam o mesmo lugar no prato como no verão e os docinhos ficam irresistíveis. Para contribuir no ganho de peso, as atividades físicas tornam-se menos freqüentes. E essa combinação de comidas mais calóricas e menos atividades físicas resultam em mais peso.
Os alimentos de maior valor calórico são consumidos de forma desregrada causando uma série de conseqüências desagradáveis para a saúde e insatisfação estética. Os hábitos geralmente são modificados ao longo de período de frio. Proprietário da academia Physicus da cidade de Lavínia (SP), Douglas Longhini, diz que no inverno a freqüência de alunos cai significativamente. “Claro que o frio influencia muito na diminuição de freqüência das academias, além das viagens muito comuns nesse período, por ser época de férias. Há também a mudança de rotina das pessoas que geralmente ficam mais recolhidas”.
Cuidar do corpo inclui a prática de exercícios físicos de maneira correta com acompanhamento de um profissional especializado. O professor de educação física, Alison dos Santos, fala sobre a pratica de exercícios no inverno: “Nesse período é importante, antes de qualquer tipo de atividade física, que se faça um maior tempo de aquecimento e alongamento para que não haja nenhum tipo de lesão devido as fibras estarem mais contraídas”. No inverno perde - se menos calorias devido ao organismo precisar mais do tecido de gordura para manter a temperatura corporal e o metabolismo basal.
Para manter a saúde física em dia, tanto as pessoas que se interessam na boa forma do corpo quanto os sedentários, o professor recomenda que não só no inverno como em qualquer época o indivíduo sedentário precisa de um profissional da área aferir como médico. É importante o acompanhamento do profissional de educação física e de um regime em programa gradativo, começando sempre com exercícios leves que não venham comprometer a saúde”.Um cuidado com a alimentação também é necessário: “É quase que impossível manter a forma comendo comidas calóricas e sem um programa de exercícios, uma vez que já sabemos que no inverno é mais difícil de perder calorias”, conclui Alison.
No inverno a alimentação deve mesmo receber um tratamento especial, isso porque o organismo está sujeito a algumas modificações. Segundo o Instituto de Metabolismo e Nutrição de São Paulo (IMEN), no inverno o corpo humano necessita de uma maior quantidade de energia para executar as atividades e manter sua temperatura normal (36º C ou 37ºC), e
isso implica em sentir mais fome. E os alimentos ingeridos são comumente mais calóricos, pois o organismo se satisfaz melhor com gorduras e proteínas.

A nutricionista Josiane Souza diz que no inverno, a necessidade de repor água é menor que no verão, por isso muitas pessoas reduzem o consumo de frutas e saladas, que não aquecem o organismo conforme a necessidade, e passam a dar preferência a alimentos mais quentes, calóricos e com digestão mais lenta, que proporcionam sensação de saciedade por mais tempo. Ela observa que para a maioria das pessoas, “basta a temperatura cair alguns graus para famílias inteiras ficarem espremidas nas mesas de restaurantes ou pizzarias consumindo com nenhuma moderação massas, fondues, chocolate quente, vinhos, entre outras delícias altamente calóricas”.
Para aqueles que se preocupam em manter o corpo em forma para a chegada do verão Josiane ressalta que é importante ficar de olho nas armadilhas que o frio traz e que podem comprometer a silhueta. “Pode-se consumir todas as delícias do inverno sim, mas com moderação e bom senso”.
Somando-se o maior consumo de calorias e menor gasto dá-se numa maior reserva energética, ou seja, os indesejáveis quilinhos a mais. Para evitar esses indesejáveis quilos e se manter em forma para recepcionar bem o verão estando com o corpo e a saúde em dia a nutricionista recomenda:

-Substitua o chocolate quente por um chá com adoçante; se não resistir, prepare o chocolate com leite desnatado e achocolatado diet.
-Dê preferência ao founde de queijo preparado com leite desnatado e queijos magros. Sirva-o com legumes como cenoura, pepino, cogumelos, etc. Os founde de chocolate devem ser preparados também com leite desnatado e chocolate diet e servido com frutas diversas.
-Substitua os queijos amarelos pelos brancos ou light.
-Substitua alimentos fritos por grelhados ou cozidos.
-Abuse das sopas e caldos, preparando-os com legumes e verduras de sua preferência. Evite utilizar creme de leite, torradas, queijo ralado ou massas.
-Substitua os doces por frutas diversas.
-Para diminuir a sensação de fome, aumente o consumo de fibras que além de ajudar no funcionamento do intestino, proporciona uma sensação de salinidade prolongada.
-Modere o consumo de bebidas alcoólicas. Lembre-se que elas são fontes de calorias vazias, ou seja, fornecem calorias ao seu organismo sem nutrientes. O consumo de uma taça de vinho tinto por dia faz ao coração e aquece o corpo.
-Fracione sua alimentação: alimente-se a cada três horas de forma moderada ( consumindo quantidades pequenas).
-Beba muita água, mesmo que não tenha sede.
- A alimentação deve ser balanceada durante o decorrer do dia, procurar não extrapolar em todo o período.

Com essas dicas de alimentação e substituição é possível manter-se em forma e chegar ao verão com tudo em cima.

Celular causa mais problemas no trânsito do que drogas

Pesquisa comprova que ligações e torpedos provocam mais acidentes

Por Lívia Gaspar e Naira Mendes

Celular, carro, torpedo, velocidade, desatenção, tudo isso é sinônimo de imprudência no trânsito. Jovens e adultos, dependentes do telefone móvel, dirigem falando e trocando mensagens. Alguns fazem isso por motivos de trabalho, mas muitos utilizam dessa comunicação para, simplesmente, trocar recados afetivos.

No início deste ano, segundo o site da Abril especialistas da RAC Fundation, que trabalha com segurança dos motoristas, em parceria com o laboratório de Pesquisas do Trânsito (TRL) realizaram uma pesquisa, na Grã-Bretanha, com 17 motoristas com idade entre 18 e 24 anos, os pesquisadores usaram simuladores de direção no trânsito para avaliar o impacto que escrever ou ler torpedos exerce no modo como os motoristas dirigem. O resultado revelou que quem dirige utilizando o celular é muito mais incapacitado do que aquele que bebeu além do limite legal do álcool.

Os pesquisadores revelam que as reações dos motoristas com celular diante dos problemas no trânsito foram 35% mais lentas enquanto dirigiam e escreviam ou liam mensagens. Além disso, a capacidade de controle no volante foi prejudicada em 91% e a habilidade em manter a distância com relação aos outros carros também caiu. O pesquisador Nick Reed constatou que “quando trocam torpedos, os motoristas ficam distraídos ao tentar ler textos pequenos no visor do celular e ao pensar em como escreverão suas mensagens”.

Douglas Longhini Merlo, coordenador geral de Educação da Prefeitura de Lavínia, 40 anos, concorda exatamente com a idéia de Reed. Ele nunca usa o celular quando está dirigindo e vê neste hábito um dos maiores causadores de acidentes no trânsito. Para Merlo, este abuso abrange motoristas de todas as idades, mas o alvo maior são os jovens, devido aos namoros.
O policial militar Marcos Marcello defende a idéia de que dirigir falando no celular deveria ter multa gravíssima, pois a partir do momento que o motorista utiliza o aparelho, ele está arriscando não apenas a sua segurança, mas também de
outros.

O PM diz nunca ter visto, em 20 anos de serviço, tamanha desatenção no trânsito como tem ocorrido hoje decorrente desta prática. Ele assegura que há uma freqüência muito grande de casos de autuação de motoristas dirigindo e falando ao celular. “Motorista responsável não bebe e nem fala ao celular no momento em que está dirigindo, todos deveriam entender que praticar está infração é colocar em risco muitas vidas”, insiste.

O que muitos não acreditam é que o impacto dos torpedos nos motoristas é maior do que o provocado por drogas ou álcool. Um deles é Fernando Tanikawa,18 anos, estudante de farmácia em uma universidade de Araçatuba. Para ele, dirigir alcoolizado é mais perigoso do que se comunicando no celular, pois a bebida estimula os sentidos deixando a pessoa mais à vontade para fazer coisas que jamais faria sã.

Segundo o estudante, o álcool diminui os reflexos. Fernando nunca sofreu nenhum acidente proporcionado pelo uso de celular e, por isso, quando está dirigindo e recebe ligações, ele não vê nenhum motivo que o impeça de atender. Para ele, o uso do celular não atrapalha a sua direção, embora a infração, de natureza média, diga o contrário.

“Sim, uso com freqüência o celular ao dirigir para atender e fazer ligações e, às vezes, enviar torpedos”, assume o estudante de publicidade Márcio Dutra, 22 anos. Assim como ele, 48% dos 3 mil motoristas entrevistados pela TRL assumiram que enviam e recebem torpedos enquanto dirigem.

Márcio conta que já foi multado por este hábito, mas continua repetindo a ação pela necessidade do trabalho, por falta de tempo e porque pode ser perigoso parar o carro na rua dependendo do local e do horário para atender ao telefone. Para ele, dirigir alcoolizado ou falando no celular tem o mesmo perigo, a gravidade vai do alto índice de bebida ingerida ou do assunto que a pessoa está recebendo no celular, pois muitos motoristas transmitem no volante o sentimento que estão passando.